Notícias

Massacre na selva

Com a ajuda da Polícia Federal, o Ibama do Amazonas apreendeu este ano 1.800 peças de artesanato indígena feitas com penas de aves, escamas de pirarucu e dentes de peixe-boi, entre outros subprodutos de animais silvestres. Uma portaria da Funai editada em junho, quando começam as principais festas regionais, proibiu esse tipo de comércio. Antes a venda de artesanato com subprodutos da fauna silvestre era permitida desde que apresentasse “certificado de origem indígena”, uma garantia de que só eram utilizadas sobras da caça de subsistência. As evidências de que os índios passaram a exterminar animais para lucrar com o artesanato levou à suspensão das concessões. Segundo o Ibama, no ano passado cerca de 28 mil araras foram abatidas com este fim, em cálculo subestimado, baseado apenas no material apreendido. A portaria da Funai aumentou o rigor na fiscalização do período de festas em 2004, com a apreensão de todo o estoque das 38 lojas de artesanato cadastradas junto ao Ibama em Manaus. Nem a tradicional festa dos bois-bumbás de Parintins escapou: foram encontradas penas de papagaios e araras azuis na fantasia da cunhã-poranga (espécie de porta-bandeira) do Boi Caprichoso. O Ibama esperou o desfile acabar para apreender o material e multar a agremiação em R$ 25 mil.

Redação Gem Saviour·
4 de agosto de 2004·20 anos atrás

Leia também

Notícias
20 de fevereiro de 2024

Novos dados confirmam que destinação do lixo piorou sob Bolsonaro

Gestão recebeu 24,4% de resíduos despejados inadequadamente e entregou percentual de 26,2%; estabelecimentos inadequados saltaram de 72,2% para 77,6% do total

Reportagens
20 de fevereiro de 2024

MP entra na Justiça após três bugios morrerem eletrocutados na Região Metropolitana de Porto Alegre

Em apenas nove dias, três bugios morreram em contato com a rede elétrica. Dezoito estão sob cuidados médicos por tempo indeterminado. MPRS pede custeio do tratamento

Notícias
20 de fevereiro de 2024

Negociação entre governo e servidores ambientais tem avanços, mas segue sem acordo

Equiparação salarial com servidores da Agência Nacional de Águas ainda não foi acatada, mas governo acena com gratificações; nova reunião deve ser em meados de março

Mais de Gem Saviour

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.