Salada Verde

No último ano, 100% da exploração de madeira no Acre foi feita de forma legal

No total, cerca de 11 mil hectares de floresta foram explorados no estado, majoritariamente em propriedades privadas, mostra estudo da Rede Simex

Cristiane Prizibisczki·
13 de outubro de 2022·1 anos atrás
Salada Verde
Sua porção fresquinha de informações sobre o meio ambiente

A exploração de madeira no estado do Acre chegou perto dos 11 mil hectares entre agosto de 2020 e julho de 2021, o que significou uma redução de 93% em relação ao período anterior – 27.455 ha entre 2019 e 2020. Pesquisa inédita da Rede Simex, divulgada recentemente, mostrou que 100% desta exploração apresentou algum tipo de autorização para ser realizada. Isto é, aconteceu de forma legal.

A atividade de exploração da madeira acreana ficou concentrada em cinco dos 22 municípios do estado: Porto Acre (36%), Feijó (33%), Sena Madureira (25%), Acrelândia (3%) e Bujari (2%).

Além disso, os dados apontam que 94% (10.200 ha) da atividade ocorreu em imóveis privados, 5,6% (612 ha) em assentamentos e 0,7% (73 ha) em terras não destinadas ou sem informações fundiárias. Não foram identificadas explorações em áreas restritas, como Unidades de Conservação de Proteção Integral e Terras Indígenas.

Na área de assentamentos, a exploração aconteceu em dois Projetos Agroextrativistas (PAE): o PAE Porto Dias, que tem como principal renda o Manejo Florestal Comunitário, e o PAE Canary, que é ligado à Floresta Estadual do Antimary.

Esta é a primeira vez que a legalidade da exploração madeireira nos estados da Amazônia Legal é mapeada. Para realizar esta análise, os pesquisadores da Rede Simex cruzaram imagens de satélite da área explorada com as autorizações emitidas pelos órgãos ambientais.

“Para isso, foram utilizados os dados abertos do Sinaflor, a partir do Sistema Compartilhado de Informações Ambientais (Siscom), e dados dos Planos de Manejo Florestal Sustentável licenciados pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC), além da validação de algumas áreas pelo próprio órgão estadual”, diz nota da Rede.

A Rede Simex é formada por quatro organizações ambientais: Imazon, Idesam, Imaflora e ICV.

  • Cristiane Prizibisczki

    Cristiane Prizibisczki é Alumni do Wolfson College – Universidade de Cambridge (Reino Unido), onde participou do Press Fellow...

Leia também

Notícias
11 de outubro de 2022

Cinco municípios concentram 100% da exploração ilegal de madeira em Rondônia

Chupinguaia, Pimenta Bueno, Machadinho D´Oeste, Porto Velho e Corumbiara figuram na lista. Área total explorada no estado é de mais de 16 mil hectares

Notícias
30 de setembro de 2022

Ilegalidade chega a quase 40% da exploração de madeira na Amazônia, mostra estudo

Área em que madeira foi tirada sem autorização foi de 142 mil hectares, sendo 15% dentro de terras protegidas, como unidades de conservação e territórios indígenas

Notícias
7 de outubro de 2022

Desmatamento na Amazônia bate recorde em setembro e chega a 1.455 km²

Número de alertas no mês é o pior da série histórica do INPE e 47,7% maior do que setembro do ano passado. Dados foram atualizados nesta sexta-feira (7)

Mais de Gem Saviour

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.